Projeto Resistance – Revolta e Resistência nos Impérios Ibéricos, séculos XVI a XIX

Desde Junho de 2018 pesquisadores da Europa, Américas, Ásia e África se reuniram para investigar “os processos de resistência de categorias sociais discriminadas, segregadas e “de baixo” nos impérios ibéricos, entre 1500 e 1850”.

O projeto prevê ainda a divulgação dos resultados de suas pesquisas em linguagem acessível para diversos públicos, especialmente o escolar. Assim, o grupo de pesquisadores coordenados pela professora Mafalda Soares da Cunha e composto por 102 pesquisadores de 4 instituições portuguesas (Universidade de Évora, FCSH-NOVA, ICS-ULisboa, ISCTE-IUL, Max Plank Institute, Universidad de Cantabria e Universidad de Santiago de Compostela) e seis instituições não europeias (Pontificia Universidad Católica de Chile, Universidad Nacional de La Plata, Universidade de Cabo Verde, El Colegio de Michoacán, Universidade Federal da Bahia e Brown University), criou uma página no YouTube. No canal, foi publicada recentemente uma entrevista a Gregorio Salinero e Manuel Herrero Sánchez sobre rebeliões no período moderno.

O Projeto Resistance é de fundamental importância no contexto histórico atual, uma vez que revisita um período tradicionalmente estudado, tendo em perspectiva os “fenómenos de resistência activa e passiva em diferentes territórios e cronologias”. Buscando analisar “a morfologia e a gramática da resistência, contrastando: os impérios português e espanhol, os espaços europeus e não europeus, e a sua evolução ao longo desses 250 anos, sempre com o propósito de destacar o papel dos grupos subalternizados na transformação social”.


Publicado por

talitansanchez

Mestranda em História pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), onde possui Bacharelado (2012) e Licenciatura (2013) em História. Atualmente pesquisa sobre gravuras na Restauração portuguesa (1640-1668) e é bolsista CAPES. Apresentou pesquisa monográfica de final de curso sobre os desenhos em um manuscrito de Félix da Costa no século XVII em Portugal (2012). Realizou pesquisas de Iniciação Científica sobre iconografia onírica no século XVII ibérico com recursos da FAPESP (2010-2011) , e sobre as obras "A Vida é Sonho" de Calderón de la Barca e Antonio Perda no século XVII espanhol, de forma voluntária (2009-2010). Participou do projeto "O corpo, entre arte e medicina: um levantamento iconográfico e bibliográfico", do departamento de História da Arte da mesma instituição com financiamento da FAP/UNIFESP (2011). Além disso, tem experiência com tutoria e monitoria de cursos de graduação e de especialização, tendo atuado como tutora no curso de Especialização em Educação em Direitos Humanos da COMFOR/UNIFESP (2015-2016). Tem experiência profissional nas áreas de educação patrimonial e de gestão de arquivos. Interessa-se particularmente por temas como Visualidade, História Moderna, Messianismo, Mundo Ibérico, Direitos Humanos e Educação. Lattes: http://lattes.cnpq.br/7045647615690954 Academia: https://unifesp.academia.edu/TalitaNSanchez

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.